Drag Racing 1/4 Mile times 0-60 Dyno Fast Cars Muscle Cars

VW Brasília 1973: Comercial antigo de lançamento (Volkswagen)

Comercial de lançamento no Brasil do Volkswagen 1600 Brasília em 1973. ====== HISTÓRIA: Volkswagen Brasília ====== A Brasília chegou em 1973, com o mesmo esquema mecânico do Fusca: motor 1.6 traseiro refrigerado a ar, com carburador simples (a dupla carburação era opcional). A mecânica confiável e o desenho (uma versão mais curta e moderna da Variant) caíram no gosto do público. Foi produzida até 1982 e passou sua vida sem grandes mudanças. As maiores ocorreram em 1978 (novas lanternas, capô e pára-choques com ponteiras plásticas), 1979 (versão quatro portas e surgimento da versão top LS, com vidros verdes, molduras de farol e rodas na cor grafite e bancos com encosto alto) e em 1980 (novo painel de instrumentos). Teve versão a álcool, lançada em 1981, mas equipada com motor de 1,3 litro. Deixou de ser produzida após pouco mais de 1 milhão de unidades ganharem as ruas. ______________________________________ Comercial comarciais antigos classica vintage commercial proganda propagandas antigas de carro anos 70 80 90 da tv brasileira tv advert ad advertise spot publicidad publicità recklam Chevrolet Opala Chevette Caravan Chevette Monza Ford Corcel Del Rey Fiat 147 Oggi Panorama VW Fusca Passat Santana Gol Voyage TL Brasilia 1600 zé do caixão VW Volkswagen Fusca 1600 Brasilia Variant comercial antigo propaganda antiga vintage commercial Volks Beetle Scarbajo Fiat 147


 


More Videos...


Comercial engraçado da Variant (Rogerio Cardoso)
Comercial engraçado dos anos 60 da Variant Volkswagen 1600 com Rogério Cardoso, o "Rolando Léro" da Escolinha do Professor Raimundo e "Seu Flor" da Grande Família.





Vídeo Comercial - VW Brasília Lançamento 01





Fiat 147: Comercial antigo de lançamento 1976 - Brasil
Um dos comerciais de lançamento do Fiat 147 no Brasil em 1976, primeiro modelo da montadora italiana produzido no país. Por ser uma montadora recém chegada, a FIAT investiu em várias propagandas com diferentes abordagens. Nesta aqui é enfatizado o sistema de freios do veículo. =========== HISTÓRIA - FIAT 147 =========== Lançado em novembro de 1976, ele marcou a estréia da Fiat no Brasil. Na versão L -- originada do Fiat 127 italiano -, o 147 apresentava várias características modernas para a época, como pneus radiais de séries calçados em rodas de aro 13, suspensão independente nas quatro rodas, grande espaço interno e diminutas dimensões externas (apenas 3,63 metros). O motor, de 1049 cm3, com 57 cavalos, transversal (outra novidade), tinha comando de válvulas no cabeçote (que por sinal era de alumínio) acionado por correia dentada, e seu principal apelo era a economia de combustível. A Fiat fez uma propaganda interessante, na qual o carro percorria a ponte Rio-Niterói (cerca de 14 quilômetros de comprimento) com apenas 1 litro de gasolina -- que se encontrava numa bureta ligada diretamente ao motor. E, segundo o comercial, ainda sobrou combustível no recipiente utilizado. Para provar que o carro era resistente, característica inegável do seu mais forte concorrente, o Fusca, a montadora promoveu um outro teste no mínimo curioso: subiu e desceu os 365 degraus da escadaria da Igreja da Penha, no Rio de Janeiro. Pelo menos na propaganda divulgada pela televisão, as suspensões se saíram muito bem. Mas nas mãos dos consumidores as coisas estavam um pouco diferentes... O 147 não teve um começo fácil e não foram poucos os percalços por que ele passou. Defeitos no câmbio e problemas de acabamento e durabilidade deixaram muitos consumidores desapontados. De qualquer forma, logo em 1978 saiu a série especial GL Vogue, o 147 básico, o GL normal de linha e a Furgoneta (com vidros traseiros inexistentes e sem os bancos de trás, uma inovação no Brasil). Em 1979 é a vez da picape (outra novidade), derivada da versão hatch, do 147 Rallye, com motor 1300 e acabamento esportivo, do 147 a álcool (o primeiro movido a esse combustível no Brasil, certamente o primeiro veiculo de serie no mundo a álcool) e o top de linha GLS. No ano seguinte chega a frente Europa, bem mais moderna, com pára-choques de plástico. A versão básica permanece com a mesma linha original do 147. Nesse mesmo ano é lançada a Panorama, versão station wagon da linha, e a Fiorino, versão de carga com baú, outra novidade. A picape longa viria em 1981 e a City, em 1982 Para 1982, alias, a empresa muda o nome das versões, com o surgimento do básico C (no lugar do L), do intermediário CL (antigo GL) e do 147 Top (antigo GLS). Este apresentava painel de instrumentos concebido pelo designer Bertone. O Rallye passa a ser chamado de Racing. Havia uma exceção: o GL 500.000, uma série especial que foi fabricada entre junho de 1981 e janeiro de 1982. Em 1983 é lançado o Fiat Spazio, uma derivação do 147, e com ele vem o Oggi CS (fabricado a partir de março de 1983), a versão três volumes e duas portas do Spazio. Nesse mesmo ano-modelo o Rallye passa a se chamar Spazio TR e o Top vira CLS. O básico continua com a frente Europa até 1984 e em 1985 passa a ter a mesma parte dianteira do Spazio. Com o lançamento do Uno, em 1984, o Spazio sai de linha, mas o C, básico, continuou em produção até fevereiro de 1987. ======================================= Comercial Propaganda campanha publicitária antigo Comerciais antigos propagandas antigas TV Spot commercial ad advert advertise publicidad publicità Comerciais antigos da TV Brasileira Fiat 174 Panorama Oggi Uno Premio Elba Ford Del Rey GM Chevrolet Chevette Monza VW Fusca Brasilia Passat Variant TL vintage commercial classic adv advertise 127 Topolino Fiat 500 600 cinquecento Chrysler Group Fiat PT Cruiser fuel 500 Alfa Romeo





Fusca 1952 - Comercial Muito Intressante.flv





Concessionária VW fechada há 11 anos ainda tem carro zero km
Ele se tornou sócio da concessionária em 1974. Em 2001, ela foi fechada pela Volkswagen. Mas até hoje Otmar mantém a loja intacta e vive como gerente. Vai à loja todos os dias e cuida dos carros - alguns são raridades e zero km. Conheça essa história encantadora nesse vídeo produzido pelo Bufalos TV. Agradecimento especial à revista Autoesporte. Reportagem: Ricardo Sant'Anna Imagens: Guilber Hidaka Roteiro: Carina Mazarotto Locução: Bruno Bonemer Edição e Arte: Anderson Massambani www.bufalostv.com facebook.com/bufalostv vimeo.com/bufalostv





Homenagem de Despedida do Monza





Volkswagen Santana 1987: Comercial antigo (VW Brasil)
Comercial antigo de lançamento da linha Santana 1987. VW Corsar vintage commercial ad advert classic spot VW Santana Logus comercial antigo anos 80 Quantum Chevrolet Monza Omega Vectra Ford Del Rey Verona Versalhies Maverick Fiat Uno comerciais antigos propagandas antigas tv ad advert advertise vintage commercial classic spot advertising 80's Brasil Brazil Comerciais antigos da TV brasileira. Comerciais antigos anos 80





Antigo Comercial Alemão do Fusca





Volkswagen Brasília - Comercial antigo do ano de 1978
http://saiudelinha.com.br - Volkswagen Brasília - Comercial antigo do ano de 1978. Visite: http://saiudelinha.com.br





Comercial Corcel - 1970
A Ford fez uma série de comerciais do Corcel (assim como da Belina) ao estilo cinema mudo. Neste, o mocinho salva a mocinha, que corria perigo de ser morta em uma serraria. O curioso é que não sei até hoje se este filme foi produzido aqui ou nos Estados Unidos, pois existem outros da série em que outro locutor pronuncia o slogan em inglês (em vez de Ford Corcel, o carro jovem, como aqui, ele diz Ford Corcel, the young car) e o título do "episódio" aparece em português e em inglês. Imagens extraídas da histórica série 40 Anos de TV, levada ao ar pela TV Cultura em 1990, O programa falou sobre a publicidade na televisão. Imagens conseguidas junto a um amigo.





Volkswagen Fusca - Comercial antigo, A Simplicidade do Fusca
http://saiudelinha.com.br - Comercial antigo, A Simplicidade do Fusca. Visite: http://saiudelinha.com.br





Ford Maverick - Comercial de 1977
http://saiudelinha.com.br - Comercial Maverick do Ford 1977 Visite: http://saiudelinha.com.br





ANOS 2000 - VW GOL GIII (OFICIAL)
Propaganda efatizando as qualidades do Volksvagem Gol Geração III. E muita gente entrou na onda, confiando nas conhecidas qualidades do VW Gol e nem percebeu que a montadora estava usando os coitados compradores para "testar" o motor 16V 1.0. No final das contas, o motor foi "aposentado" pela montadora, a fama de motor problemático se espalhou pelo país, o preço de revenda do carro despencou e os coitados dos consumidores ficaram com o "mico" na mão de ter que 'se ligar" mais que o normal, na manutenção, até conseguir revender o carro a outro trouxa, digo, consumidor que desconhecia o fato. Ainda existem aqueles que ainda defenderão o motor 1.0 16V, talves porque o tem na garagem, mas, neste caso, é aquela história: Cria-se uma mentira e de tanto repetí-la ou usá-la como justificativa, acaba-se por acreditar nela!....Coisas de Brasil! Coisa de Brasileiros! Esta é a minha opinião e a sua qual é?.. Assista o vídeo e deixe sua opinião! .........Publicado por Marquinho: analistadoorkut@hotmail.com





Ford Maverick com Flowmasters - ronco do motor
Preparado pela Pedrinho Racing, aproximadamente 330cv no motor. Comando mecânico, bielas forjadas, cabeçotes fluxados, balanceiros roletados, dimensionados full, etc, etc, etc...





VW Passat X Porsche 911: Comercial Antigo anos 80
Comercial antigo de lançamento do Volkswagen Passat 1983 no Brasil. "O novo Passat tem muito mais luxo e muito mais conforto no seu interior. Seu novo motor 1.6 faz dele um carro ágil, valente, com um torque que permite manter alta velocidade com baixa aceleração. É por isso que além de tudo o Passat é um carro econômico, muito econômico" =========== HISTÓRIA: Volkswagen Passat ========== O lançamento do "revolucionário" Passat, em 1974, fez a Volkswagen provar do próprio remédio. Teve de engolir algumas das brilhantes idéias que marcaram os anúncios com alusão à sua tradicional linha de produtos. Algumas propagandas da fábrica espetavam a concorrência com frases como "o ar não ferve". Outras ainda falavam das vantagens do motor traseiro com tração traseira e da resistência das barras de torção da suspensão, quase tão famosa quanto o próprio Fusca. Definitivamente aqueles eram novos tempos. O Passat trazia na dianteira um motor 1.5 de quatro cilindros em linha. E refrigeração líquida. Não bastasse isso, vinha com novidades como juntas homocinéticas, circuito diagonal de freios, suspensão McPherson. Coisa suficiente para estressar os mecânicos da rede autorizada, que tiveram de passar por uma boa reciclagem. O público, por sua vez, recebeu bem o inédito VW, com suas linhas retas e economia de cromados. Com espaço para cinco, porta-malas competente e o bom desempenho do motor de 65 cavalos, o carro tinha qualidades para conquistar consumidores além da fronteira das famílias fiéis à marca. Seu projeto mais moderno abria uma boa distância do concorrente mais próximo, o Corcel. Já no ano seguinte ao seu lançamento o Passat era oferecido com um opcional antes exclusivo de carros de luxo, o ar-condicionado. A linha cresceu com a chegada dos modelos três e quatro portas. Mas a grande sensação do ano foi a chegada do Passat TS, versão esportiva identificada pelos quatro faróis e pelas faixas pretas na parte inferior das laterais. Vinha com motor ligeiramente mais bravo, melhor acabamento e era equipado com console de instrumentos. No painel, no lugar do relógio, ficava um pequeno conta-giros. Esteticamente o Passat foi basicamente o mesmo desde o lançamento: é verdade que a frente ganhou faróis retangulares em 1979, que viraram quatro em 1983. Mas nada que alterasse profundamente o projeto original. Em compensação, durante seus 15 anos de vida, a linha Passat pôde experimentar diversos motores. Entre o 1.5 de estréia e o 1.8 da aposentadoria o Passat incorporou considerável tecnologia e ganhou desempenho na mesma proporção: em um teste realizado em julho de 1974 um Passat LS fez de 0 a 100 km/h em 16,3 segundos. Já no fim de carreira a versão GTS, equipada com o motor cedido pelo Santana, fez a mesma prova em 10,9 segundos. No teste de velocidade máxima, a evolução também foi significativa: 169 km/h contra 145 km/h do Passat da primeira safra. No final de 1988, contrariando uma legião de admiradores e depois de fabricar 676 819 Passat, a fábrica decidiu cortar seu oxigênio. E concentrou as atenções e, principalmente, investimentos no Gol, Parati e Voyage, linha criada e desenvolvida aqui no Brasil. ======================================= Comercial antigo Comerciais Antigos Propaganda antiga Propagandas Antigas TV Brasileira Anos 60 Anos 70 Anos 80 anuncio campanha publicitária de lançamento carros automóvel automóveis Brasil Brazil Vintage Car Commercial Ad Advertise Advertisement TV Spot Pubblitità Publicidad Recklam VW Volkswagen Passat Ford Corcel Del Rey Escort Chevrolet Opala Caravan Chevette Fusca Brasilia Variant TL Fiat Oggi 147 Panorama Monza




Which car is faster? Which Car is Faster?





Similar 1/4 mile timeslips to browse:

1992 Kit-Car Stinger : 7.870 @ 180.000
Luke doggy dog, Engine: modded 4500 cc, Turbos: 2 x t4's Tires: 21 x 16


1963 Triumph TR4 : 13.631 @ 104.990
Jay Smith, Engine: 5.0L,


1969 Pontiac Beaumont : 13.642 @ 99.630
Jordon Randall, Engine: 454 ci chevrolet,


 


©2014 DragTimes - Disclaimer