PROPAGANDA (DODGE DART)

Propaganda de lançamento do Dodge Dart Sedan em 1969, um show de elegância e potência.

More Videos...


Dodge Charger R/T: Comercial antigo anos 70 (Brasil)
Comercial de lançamento do Dodge Charger R/T com ignição eletrônica e transmissão automática. "Um dia a Chrysler fez o Dodge Charger R/T, o que há de mais avançado em automóvel no Brasil. Agora a Chrysler dá mais um salto, lança o Dodge Charger R/T com ignição eletrônica e transmissão automática no assoalho, o primeiro no Brasil. Cada vez aumenta mais a distância entre o Dodge e os outros automóveis." =========== HISTÓRIA: Dodge Charger RT =========== Em 1971, Emerson Fittipaldi, na época o primeiro piloto da Lotus, não foi econômico nos elogios ao Dodge Charger RT, quando comentou o esportivo durante um teste comparativo: "Ótima estabilidade, obediente, gostoso de dirigir e direção excelente". O Charger RT era o puro-sangue da linha Dodge nacional, lançado em 1970 pela Chrysler, recém-chegada ao Brasil. Derivado do Dodge Dart cupê, ele tinha cara e potência de carro americano. Mas custava caro: para tirar um modelo 1975 da loja, era necessário fazer um cheque de 74200 cruzeiros, aproximadamente R$100.000 em valores atuais. Com 215 cavalos, ultrapassava facilmente os 180 km/h e acelerava de 0 a 100 em 11 segundos. Essa marca era obtida graças à elevada taxa de compressão do motor, que obrigava o Charger a consumir gasolina azul em altas doses - fazia 4 km/l na cidade e 6 km/l na estrada. Gasolina azul era a designação do combustível de maior octanagem, opção para gasolina comum (amarela) e, é claro, de preço bem mais alto. Dirigir hoje um Charger RT requer adaptação. Se o som do motor convida a pisar mais fundo, os freios intimam: é preciso firmeza no pedal para imobilizá-lo. Está certo que o desempenho do motor já não impressiona tanto, mas ele mantém intacta sua alma de carrão esportivo. A suspensão é um pouco dura e a embreagem é pesada, mas o câmbio de quatro marchas, no console, tem engates precisos e a alavanca, deslocada para a esquerda, é de fácil manejo. O interior é despojado, à exceção dos bancos individuais de couro, totalmente reclináveis, que faziam a alegria dos namorados. Isso sem falar do ar-condicionado (opcional) instalado sob o painel, um luxo para poucos na época. A direção hidráulica era equipamento de fábrica. O RT sobreviveu por um bom tempo ao preço alto da gasolina - conseqüência da crise do petróleo que teve início com a guerra no Oriente Médio, em 1973. A linha Dodge foi fabricada até 1981, quando a Volkswagen, que havia assumido o controle da Chrysler brasileira, interrompeu a produção. Perfeito ele não era. O tratamento da chapa era deficiente e facilitava a proliferação da ferrugem. E o carburador DFV estrangulava o vigoroso V8 e falhava na alimentação do motor em alta rotação. Mas nada disso impediu que fosse o mais desejado esportivo nacional. Emerson Fittipaldi, depois de testá-lo, disse que compraria um para seu uso caso morasse no Brasil. ======================================= Comercial antigo Comerciais Antigos Propaganda antiga Propagandas Antigas TV Brasileira Anos 60 Anos 70 Anos 80 Vintage Car Commercial Ad Advertise Advertisement TV Spot Pubblitità Publicidad Recklam Chrysler Dodge Charger R/T Dodge Dart Le Baron Ford Landau Corcel Galaxie Maverick Mustang Chevrolet Opala





Comercial Esplanada Chrysler
Comercial de lançamento do primeiro carro da Chrysler do Brasil





Opala 1973 Propaganda
Filme do Opala 1973 Especial - Editado em 2006 - Daniel Lomelino Car





PROPAGANDA COMERCIAL FORD MAVERICK GT 1973 GRABBER BRASIL BRAZIL LANÇAMENTO
PROPAGANDA COMERCIAL FORD MAVERICK GT 1973 GRABBER BRASIL BRAZIL LANÇAMENTO COMERCIAL COMMERCIAL AD PROPAGANDA ANÚNCIO INTERVALO RECLAME REKLAME ADVERSISEMENT PUBLICITÁ SPOT ADS ADVERTISING COMMERCIALS CAR BRASIL BRAZIL




Follow