▶ A evolução da Rural Willys

A evolução da Rural Willys no Brasil, de 1956 à 1977. Comentem... A Rural Willys é um utilitário que foi produzido pela Willys Overland nas décadas de 1950, 1960 e 1970 no Brasil. Na década de 1970, passou a ser produzida pela Ford do Brasil, que comprou a fábrica da Willys em 1967, mantendo inalterados o nome Rural e praticamente todas as características do veículo. Foi lançado nos Estados Unidos em 1946 com o nome de Jeep Station Wagon, tendo sido o primeiro veículo do tipo com a carroceria toda em metal, em contrapartida às carrocerias de madeira, então comuns. Com pequenas diferenças, foi produzido também em outros países como o Japão, onde foi fabricado pela Mitsubishi, com o nome J37 e a Argentina, onde foi fabricado pela Kaiser e é conhecido como Estanciera. O modelo brasileiro foi redesenhado em 1958 utilizando como inspiração a arquitetura moderna de Brasília, em construção na época. Este desenho acompanhou a Rural até o encerramento de sua produção em 1977. No Brasil foram produzidas versões com tração 4X4 e 4X2, com motores a gasolina de seis cilindros em linha e cilindrada de 2.6 ou 3.0 litros (opcional). O motor de 2.6 litros, ou 161 polegadas cúbicas, foi o primeiro motor a gasolina fabricado no Brasil e também equipava outros veículos da fábrica Willys, como o Jeep e o Aero. O motor 3.0, utilizando o mesmo bloco, equipava o Itamaraty. A partir do segundo semestre de 1975, até o final da produção, em 1977, a Rural foi fabricada com motor Ford, denominado OHC, de quatro cilindros e 2.3 litros de cilindrada. Em todas as versões, tinha potência aproximada de 90 hp (cavalos-vapor), adequada à época e características do veículo. A Rural Willys pode ser considerada "pai" dos atuais utilitários esportivos existentes, pois era um um veículo com espaço para a família, mas robusto e com vocações off-road Em 1961 entrou em linha a versão picape da Rural, chamada de Pick-Up Willys ou Pick up Jeep e, posteriormente, F-75. A versão militar, amplamente utilizada pelas Forças Armadas do Brasil, denominava-se F-85. Na Argentina, este modelo foi conhecido como Baqueano. Tal como o Jeep, a F-75 manteve-se em produção pela Ford do Brasil até 1981.

More Videos...


CARROS ANTIGO CAMIONETA PAIXÃO NACIONAL
VOCE CURTE CARROS ANTIGOS COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS





A história dos caminhões FNM
A História dos caminhões FNM, contada pelo Sr. Osvaldo um grande colecionador desses caminhões.





Comercial Corcel - 1970
A Ford fez uma série de comerciais do Corcel (assim como da Belina) ao estilo cinema mudo. Neste, o mocinho salva a mocinha, que corria perigo de ser morta em uma serraria. O curioso é que não sei até hoje se este filme foi produzido aqui ou nos Estados Unidos, pois existem outros da série em que outro locutor pronuncia o slogan em inglês (em vez de Ford Corcel, o carro jovem, como aqui, ele diz Ford Corcel, the young car) e o título do "episódio" aparece em português e em inglês. Imagens extraídas da histórica série 40 Anos de TV, levada ao ar pela TV Cultura em 1990, O programa falou sobre a publicidade na televisão. Imagens conseguidas junto a um amigo.





JEEP WILLYS
El fallecido General George C. Marshall definió al Jeep como La mayor contribución de los Estados Unidos de América a las operaciones de guerra modernas. De hecho, la historia de la Segunda Guerra Mundial es también la historia de los primeros años de Jeep, dado que después de 1941 participó en todas las campañas como vehículo ametralladora, vehículo de reconocimiento, ambulancia, camioneta, limusina para el frente, portador de municiones, máquina para el tendido de alambres y taxi.




Follow